IMPRENSA
07 de abril de 2020 - 09h58

A- A A+

SENAI confecciona máscaras descartáveis de proteção

As unidades do Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (SENAI) de Porto Velho e Vilhena começam a produzir máscaras descartáveis de proteção em Tecido não Tecido (TNT) sintético, de composição 100% polipropileno, para serem doadas para instituições que abrigam idosos e para os atendentes e pacientes das unidades do SESI Saúde de Rondônia.

 

As máscaras são projetadas para conforto e higiene em trabalhos que não requeiram barreiras filtrantes, sendo indicadas para uso em áreas gastronômicas, estéticas, saúde e industrial.

 

A necessidade surgiu em função da dificuldade de aquisição deste Equipamento de Proteção Individual (EPI), no mercado para a compra. Desta forma, o SESI e o SENAI se engajaram nesta luta contra o vírus (COVID-19), vislumbrando assim uma forma de ajudar as entidades, além de tornar as unidades de saúde do SESI autossustentáveis.

 

A produção já iniciou em Vilhena na última sexta-feira, 3. De acordo com o gerente da unidade, Silvio Leite, num primeiro momento, foram feitos moldes e em seguida são confeccionadas as máscaras. A fabricação está sendo realizada por ex-alunos, do curso de vestuário e confecção, que trabalham de forma voluntária.


Segundo a gerente da unidade do SESI-SENAI Lagoa em Porto Velho, Fabiana Amaral, a fabricação iniciará nesta terça-feira, 7, com três costureiros voluntários, também ex-alunos do SENAI. A meta é confeccionar até 250 máscaras/dia por unidade, e a produção se estenderá enquanto houver a necessidade do uso desta proteção por parte das entidades beneficentes e dos nossos atendentes e pacientes das unidades do SESI Saúde de Rondônia.

 

Juntos vamos superar essa crise

 

Acompanhe todas as notícias, publicações legais e vídeos sobre as ações no combate à COVID-19 na página especial no Portal FIERO.


Mais notícias

SENAI e empresas parceiras garantem manutenção de equipamento do JPII

É de graça, e ainda tem vaga!

Nota de Pesar - Jonas André de Macedo

Com estratégia inovadora, indústria aumenta produção nacional de respiradores hospitalares