IMPRENSA
19 de fevereiro de 2020 - 08h28

A- A A+

SESI Pimenta Bueno tem projeto de boa prática pedagógica selecionado pela Fundação Lemann


 

Professora da equipe de profissionais docentes do SESI Departamento Regional de Rondônia, lotada na Unidade de Pimenta Bueno, inscreveu Projeto Bilboquês em parceria com a disciplina de Educação Física, sendo um dos selecionados pela Fundação Lemann, como boa prática pedagógica. A ideia é reunir boas práticas de professores, coordenadores e diretores escolares, criando um banco on-line e acessível com os melhores projetos pedagógicos.

 

De acordo com a gerente da unidade, Rosiani Marli Módolo, o projeto será divulgado juntamente com outros selecionados no site da instituição para que diversos professores de todo o Brasil, tenham acesso à prática pedagógica e reproduzam em sua escola.  Desta forma, a iniciativa de uma docente do SESI Rondônia será compartilhada para milhares de profissionais da educação, no site https://fundacaolemann.org.br/projetos/rede-conectando-saberes.

 

A Fundação Lemann está valorizando e dando visibilidade ao trabalho de educadores de todo o Brasil, através do Conectando Boas Práticas, que conta com três categorias de projetos: Práticas pedagógicas por professores; formação continuada por coordenadores pedagógicos; políticas pedagógicas por diretores escolares. 

 

Os projetos são avaliados pela rede Conectando Saberes considerando os seguintes critérios: alinhamento à Base Nacional Comum Curricular, replicabilidade em outras escolas, protagonismo do aluno e/ou da comunidade escolar e impacto positivo na realidade da escola em que foi aplicada. Os selecionados são reunidos no banco de boas práticas e os melhores serão apresentados por seus autores e coautores em um seminário local, realizado pelo núcleo da Conectando Saberes mais próximo de onde o selecionado reside. 

 

Segundo o coordenador de Educação SESI, SENAI e IEL-RO, Jair Santiago Coelho, trata-se de um feito absolutamente meritório para a Unidade SESI Pimenta Bueno, para a professora Ana Cléa, para o corpo de professores, equipe pedagógica, profissionais de apoio e a liderança da Unidade. "Iniciativa vitoriosa que ressoará por todas as escolas SESI do Estado, ganhando adesão dos profissionais de educação, estudantes e gestores de instituição de ensino, um salto importante para o nosso Departamento Regional SESI RO", afirma. 

 

Conforme a professora e idealizadora do projeto Bilboquês, Ana Cléia, o ambiente escolar é um espaço de aprendizado, rendimento e convivência. “Alinhei a proposta do livro didático e coloquei em prática com os alunos do Ensino Fundamental I, em especial na produção dos Bilboquês.   A Ideia inicial era apenas a produção dos Bilboquês em sala, mas convidei o professor Juliano da disciplina de Educação Física e fechamos uma parceria que deu certo, pudemos ir além da produção, as crianças puderam de fato brincar”, declara.

 

Os bilboquês, fazem parte das brincadeiras tradicionais que precisam ser resgatadas, com esta atividade pode se aprimorar a coordenação motora fina, por meio da confecção de trabalhos manuais e o incentivo a interação afetiva e a socialização. Os bilboquês foram produzidos com garrafas pets, produtos recicláveis, a sustentabilidade também está presente nas aulas.

 

O professor Educação Física, Juliano Cesar Pereira Carneiro lembra que o projeto resgata os jogos tradicionais nas aulas de educação física. “Podemos proporcionar uma vivência motora saudável. É uma forma de difundir a cultura popular, os jogos tradicionais são encontrados em diferentes culturas, fazendo parte da vida de muitas crianças. Gostei muito de ter aberto o espaço de minhas aulas para o festival, as crianças se divertiram”, explica.

 

A coordenadora Pedagógica Renata Gaed ressalta que projetos como o da professora Cléia, fazem a diferença no processo ensino – aprendizagem, acredito que as crianças são as maiores beneficiárias. “Na escola SESI, partimos da ideia de trabalharmos em conjunto, multidisciplinar, buscando inovar e somente com a multidisciplinariedade em ação, que de fato iremos atingir o objetivo, fazer com que a criança consiga ser protagonista na busca do aprender brincando. O brincar faz parte do dia a dia da escola e resgatar brincadeiras populares é também resgatar nossa cultura”, disse.

 

Fundação Lemann

 

A Fundação Lemann acredita que um Brasil feito por todos e para todos é um Brasil que acredita no seu maior potencial: gente. Isso só acontece com educação de qualidade e com o apoio a pessoas que querem resolver os grandes desafios sociais do país. Por isso, a organização realiza projetos ao lado de professores, gestores escolares, secretarias de educação e governos por uma aprendizagem de qualidade. Também apoia centenas de talentos, lideranças e organizações que trabalham pela transformação social. Tudo para ajudar a construir um país mais justo, inclusivo e avançado.

 

Assessoria de Comunicação Social da FIERO


Mais notícias

Presos em casa com o tablet? Conheça conteúdos educativos do SESI para tempos de coronavírus

Atividades esportivas permanecem suspensas

SESI disponibiliza plataforma de estudo online para seus alunos

SESI retoma as atividades de saúde e segurança