IMPRENSA
05 de outubro de 2020 - 10h38

A- A A+

Professor do SESI-SENAI-IEL de Vilhena fala de gamificação no Congresso Latino Americano de Educação Tecnológica


 

No último dia 1º, o professor Silvio Luiz Vichroski, do colégio SESI-SESI-IEL de Vilhena, marcou presença no Congresso Latino Americano de Educação Tecnológica. O representante do SESI de Rondônia falou da gamificação como ferramenta pedagógica e o compartilhamento das experiências e case de sucesso com a utilização do jogo Minecraft na escola.

 

O evento realizado pela Big Brain Education, representante da Microsoft e tendo o SESI como um dos apoiadores, teve como tema 2020: O Ano que Antecipou o Futuro Tecnológico Educacional, aconteceu cem por cento virtual via Youtube, no período de 30 de setembro a 2 de outubro. Foram três dias de evento com diversos palestrantes discutindo questões como o papel da tecnologia no futuro da educação, a educação 4.0 versus Indústria 4.0: o que espera a nova geração, planejamento para 2021: o novo modelo de sala de aula, dentre outros temas.

 

Professor Silvio Vichroski falou de sua experiência com o Minecraft Education e como o jogo mudou suas aulas. “No começo de 2020 tivemos a nossa Semana Pedagógica com participação do pessoal da Big Brain, que apresentou o Minecraft Education. Gosto muito de tecnologia, mas nunca havia mexido com o jogo, pois não havia chamado minha atenção”, disse.

 

A partir da capacitação da Big Brain, de acordo com Vichroski, passou a enxergar o Minecraft de outra forma, principalmente devido à sua função pedagógica. “Passei a vê-lo, não apenas como um jogo, mas como uma ferramenta pedagógica que poderia ser usada nas minhas aulas. Um dia, ao ouvir dos alunos que estavam com saudades da escola, então veio a ideia de recriar a escola, nos mínimos detalhes, dentro do jogo, para que os alunos pudessem acessar virtualmente”, explicou.

 

Segundo o professor, este foi o ponto principal para a realização deste projeto do colégio SESI-SENAI-IEL de Vilhena, que foi recriada em escala no Minecraft bloco por bloco. “Apesar do treinamento, percebi que sozinho não daria conta de construir a escola que ocupa quatro quadras e tem uma área verde extensa, então convidei alguns alunos, principalmente aqueles assíduos jogadores e eles aceitaram prontamente participar do projeto, que começou em março e levou cerca de um mês e meio para ficar pronto. Para chegar ao resultado que queríamos, fotografei toda a escola, de todo o espaço físico externo e interno. Enviei as fotos e começamos a construir. A participação dos alunos foi de suma importância e sem eles não teria conseguido”, relatou.

 

Alunos dos demais colégios do SESI em Rondônia estão habilitados a acessar o jogo e conhecer a unidade de Vilhena virtualmente. Devido ao grande número de acessos, foi necessário a criação de escalas de horários para que todos os alunos pudessem entrar e participar do jogo. A partir desta iniciativa, novas ideias começaram a surgir, pois os alunos queriam um pouco mais de desafio. Então foram criados mini games. No Minecraft Education possibilita a criação de salas de aula e então cada professor, pelo menos uma vez por semana, entrasse e colocasse um link numa lousa e ao clicar, o aluno iria automaticamente iria para uma determinada tarefa.

 

De acordo com Vichroski, a maioria dos alunos acessa as aulas remotamente via celular, mas o Minecraft Education só funciona em computadores. Por isso o projeto teve de ser readaptado para uma forma mais lúdica, do que propriamente para os objetivos pedagógicos, pois nem todos os alunos têm acesso neste momento. O projeto deixou os alunos muito mais interessados, pois ao invés de fazer um trabalho manuscrito, cada um pode construir e executar as tarefas de qualquer disciplina dentro do jogo, conforme a disponibilidade do professor em utilizar o jogo como ferramenta de aprendizado.

 

“As possibilidades que o jogo nos oferece como professores, são inúmeras. E hoje, tenho uma visão totalmente diferente do Minecraft”, afirma o docente. “Para mim, o jogo chegou num momento de extrema importância porque através dele conseguimos conectar todos os alunos e vejo que há uma interação efetiva entre eles dentro do Minecraft Education, onde cada um trabalha a criatividade, o trabalho em equipe, mesmo virtualmente, tudo direcionado para a parte pedagógica”, finalizou.

 

 O coordenador de Educação Básica e Profissional do SESI-SENAI e IEL/RO, Jair Coelho parabeniza o professor Silvio pela excelente apresentação e reitera a importância de trazer à comunidade educacional soluções tecnológicas e cases de sucesso. “O SESI e sua equipe de professores estão antenados com as novas tendências tecnológicas que contribuem às mudanças de cultura e nas adaptações no novo modelo de aula.

 

Assessoria de Comunicação Social FIERO


Mais notícias

Pavimentação asfáltica garante qualidade e segurança à comunidade escolar do SESI-SENAI-IEL de Cacoal

SESI-SENAI-IEL Lagoa leva alunos para um mergulho virtual ao mundo da leitura

Mega Aulão remoto movimenta alunos do colégio SESI-SENAI-IEL de Pimenta Bueno

Colégios SESI-SENAI Rondônia utilizam ferramenta Lego como instrumento de aprendizagem