IMPRENSA
03 de outubro de 2019 - 07h50

A- A A+

Reforma da Previdência aprovada no Senado ajudará a equilibrar as contas públicas, afirma o presidente da CNI

Robson Braga de Andrade destaca que a aprovação das mudanças nas regras de aposentadoria abrem espaço para avanços na agenda da produtividade, que inclui a revisão do sistema tributário e as privatizações

Mesmo com a mudança no ponto que trata do pagamento do abono salarial, a reforma da Previdência aprovada em primeiro turno no Senado é robusta. Além de contribuir para o equilíbrio das contas do governo federal, ajudará a reverter os crescentes desequilíbrios fiscais de estados e municípios, com a futura aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) paralela. A avaliação foi feita nesta quarta-feira, 2 de outubro, pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.  “Ao incluir os servidores de estados e municípios nas novas regras de acesso à aposentadoria por meio da PEC paralela, a reforma terá efeitos ainda mais positivos sobre a confiança dos agentes econômicos e as decisões de investimentos, o que é crucial para a retomada do crescimento econômico”, afirma Robson Andrade.

Na avaliação da CNI, perdas impostas à economia prevista com a reforma prejudicam a busca pelo equilíbrio das contas da Previdência. Entretanto, com a PEC paralela, o Senado aperfeiçoou o texto aprovado na Câmara dos Deputados. “A reforma é capaz de equacionar o déficit da Previdência no médio prazo, trazendo mais previsibilidade para as contas públicas. Isso garantirá o pagamento das merecidas aposentadorias aos brasileiros”, diz Robson Andrade. A reforma promove maior equidade social. Também adapta as regras de acesso à aposentadoria às mudanças demográficas dos últimos 50 anos, quando o número de brasileiros com idade superior a 65 anos triplicou e a expectativa de vida aumentou substancialmente, com a melhoria das condições de vida da população.

Além disso, acrescenta Robson Andrade, a aprovação da reforma da Previdência abre espaço político para o debate de outros temas fundamentais para o país, como as mudanças no sistema tributário, as privatizações, a desburocratização, o licenciamento ambiental e medidas microeconômicas capazes de facilitar a vida dos empreendedores, aumentar a segurança jurídica, alavancar investimentos e modernizar o país.  

SAIBA MAIS: Acesse o site Reforma da Previdência – O Brasil não Pode Esperar e veja porque as mudanças nas regras de acesso à aposentadoria são cruciais para o país.



Mais notícias

Inscrições abertas para o torneio SESI de Robótica FTC

Indústria registra melhora do consumo e mantém ritmo lento de recuperação, mostra pesquisa da CNI

Membros do Conselho Nacional do SESI visitam unidades de Rondônia

Confiança do empresário está 5,6 pontos acima do registrado em outubro de 2018, informa pesquisa da CNI