IMPRENSA
27 de abril de 2020 - 11h46

A- A A+

Edital de Inovação para a Indústria vai investir R$ 24,5 milhões em 25 soluções de combate ao Covid-19


Projetos que sugerem uso de inteligência artificial para detectar pessoas febris e uma triagem remota de pacientes estão entre os dez escolhidos na 3ª seleção de categoria financiada por SENAI, Embrapii e ABDI


O Edital de Inovação para a Indústria já selecionou 25 projetos da categoria Missão Covid-19, que vão receber R$ 24,5 milhões aportados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Na terceira etapa, foram escolhidas 10 propostas destinadas a prevenir, diagnosticar e tratar os efeitos do novo coronavírus.


Entre os aprovados está projeto da empresa Opto, de desenvolvimento de uma plataforma de software de visão computacional e inteligência artificial para a detecção a distância de pessoas febris. O sistema vai utilizar câmeras termais para identificar pessoas com febre e enviar um alerta para que ela seja encaminhada aos serviços de saúde. A ideia é que a plataforma monitore ambientes industriais e comerciais, permitindo uma retomada segura das atividades produtivas no país e maior controle da covid-19. O projeto será implementado em parceria com o Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados, localizado em Santa Catarina.


A empresa Novus foi outra selecionada, com projeto que busca reduzir a contaminação de profissionais de saúde durante a triagem de pacientes em centros de saúde. Será desenvolvido sistema com uso de câmeras e sensores de temperatura, frequência cardíaca, percentual de oxigênio no sangue, frequência respiratória e pressão arterial. A ideia também é que os dados obtidos na triagem alimentem bases de dados de hospitais com o perfil de pacientes e a classificação de risco, por meio de algoritmos de inteligência artificial, para ajudar na gestão das unidades.


Outra solução escolhida é o desenvolvimento de um revestimento antiviral de fácil aplicação, por meio de spray, baseado em nanopartículas de prata. O revestimento poderá ser aplicado em superfícies como maçanetas de portas, puxadores de armários, mesas e bancadas, balcões de atendimento, corrimões de escadas e corredores, entre outros. O projeto foi apresentado pela TNS Nanotecnologia e pela Paumar (WEG Tintas) e será realizado em parceria com o Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica, em Curitiba.

 

Edital de Inovação já escolheu 25 projetos para o combate à covid-19


Nas duas etapas anteriores, já haviam sido escolhidos 15 projetos, que propuseram, entre outras medidas, o desenvolvimento de um sistema de desinfecção para transportes públicos com raios ultravioleta do tipo C (UV-C); a fabricação de um monitor de fácil manuseio para diagnóstico rápido de pacientes com deficiência pulmonar e a adaptação de ventiladores pulmonares veterinários para uso por humanos. Ainda serão selecionadas propostas em uma quarta etapa. O Edital de Inovação para a Indústria vai investir, no total, R$ 30 milhões em projetos da categoria Missão Covid-19. Todas as ideias serão desenvolvidas na rede de 27 Institutos SENAI de Inovação e 60 Institutos SENAI de Tecnologia distribuídos pelo país.


“Neste momento precisamos somar esforços para ajudar no combate ao Covid-19. É essencial apoiar projetos do setor produtivo que possam contribuir com a atual situação de crise do coronavírus. A parceria entre Embrapii, ABDI e SENAI busca trazer bons projetos que apresentem solução de curto prazo. Como instituição ligada ao MCTIC e MEC, a Embrapii tem buscado apoiar o máximo possível a inovação na indústria”, afirma o diretor de Planejamento e Gestão da Embrapii, José Luis Gordon.


“Um dos diferenciais dos Institutos SENAI de Inovação é a capacidade de apoiar a indústria nacional a desenvolver soluções inovadoras de forma rápida e em escala nacional”, afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.


“A rede conta com a parceria da Embrapii, que tem o mecanismo de financiamento de projetos inovadores mais ágil e desburocratizado do país, e da ABDI no fomento de projetos e na articulação de mecanismos de apoio à inovação. As parcerias são fundamentais para superarmos o grande desafio colocado pelo novo coronavírus”, completa.


“Nesta etapa da ação Missão Covid-19, a parceria SENAI-ABDI-Embrapii seleciona projetos robustos e de grande potencial para contribuir com as medidas de combate, diagnóstico da doença e tratamento dos pacientes. Em pouco tempo, as soluções poderão ajudar a conter a pandemia e trazer um cenário de maior segurança para os brasileiros”, afirma o presidente da ABDI, Igor Calvet.


Estes são os projetos selecionados pelo Edital de Inovação para a indústria na terceira etapa:



Mais três Institutos SENAI de Inovação são credenciados pela Embrapii



Nesta segunda-feira, 27, a Embrapii também anunciou a seleção de mais três Institutos SENAI de Inovação para ingressar em sua rede. São eles: o Instituto de Biossintéticos e Fibras, o Instituto de Química Verde, ambos na cidade do Rio de Janeiro, e o Instituto de Materiais Avançados e Nanocompósitos, em São Bernardo (SP). As novas Unidades terão disponíveis R$ 18,7 milhões da Embrapii para PD&I em parcerias com empresas brasileiras.


A Embrapii financia até um terço de projetos de inovação de empresas brasileiras com recursos não reembolsáveis oriundos dos Ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; e da Educação. Aos valores da organização se somam a recursos das próprias unidades e as contrapartidas das empresas. A expectativa que o credenciamento de novas unidades gere R$ 56 milhões em novos projetos de PD&I com empresas.


As áreas de competência selecionadas têm alta demanda por inovação e de mercado e podem contribuir com o aumento da disponibilidade de produtos sustentáveis de padrão internacional no país, seja pela melhoria de processos ou pelo desenvolvimento de novas tecnologias.


A entrada de tecnologias em biossintéticos e fibras no rol de expertises da rede de Unidades Embrapii permitirá à indústria produzir soluções na área química e da biotecnologia industrial. A área de química verde, que permite a recuperação de rejeitos industriais, também está em consonância com o desenvolvimento de substâncias e processos químicos sustentáveis. Já a competência em materiais avançados permitirá aprimorar e criar produtos e processos que, por sua vez, possam gerar redução de custos, tecnologias mais avançadas e sistemas mais produtivos.


Ao serem credenciados na rede, os Institutos podem oferecer à indústria, além da possiblidade de financiamento não reembolsável, a experiência no acompanhamento em todas as fases do projeto e na gestão de riscos. Desde sua fundação, a Embrapii já fechou 900 projetos no valor total de R$1,45 bilhão. Com o novo resultado, chegam a 44 o número de unidades credenciadas.

 

SENAI atua em quatro frentes

 

O SENAI pôs sua infraestrutura a serviço do combate à pandemia de coronavírus em quatro frentes: 1) detecção e diagnóstico, por meio do apoio à maior produção de testes para detecção do vírus; 2) prevenção, com ajuda à fabricação de equipamentos de proteção individual (EPI); 3) tratamento de doentes, ao trabalhar na manutenção de respiradores mecânicos parados e 4) apoio à fabricação e desenvolvimento de novos equipamentos.


Os Institutos do SENAI possuem pesquisadores qualificados, equipamentos e infraestrutura de vanguarda para desenvolvimento de produtos e processos inovadores, assim como para a oferta de serviços de consultoria e metrologia. Desde que a rede de 27 Institutos SENAI de Inovação foi criada, em 2013, mais de R$ 1 bilhão foram aplicados em 1.086 projetos concluídos ou em execução. A estrutura conta com mais de 700 pesquisadores, sendo que cerca de 44% possuem mestrado ou doutorado.


Atualmente, 12 centros são unidades Embrapii, e têm verba diferenciada para financiamento de projetos estratégicos de pesquisa e inovação. A rede de 60 Institutos SENAI de  Tecnologia, que começou a ser implantada nos anos 1990, possui corpo técnico de cerca de 1.200 especialistas e consultores que prestam serviços buscando melhorar a qualidade de produtos e serviços, a produtividade e a competitividade dos negócios.


Mais notícias

SESI Lagoa realiza aulas temáticas com foco na aprendizagem significativa

SESI de Nova Mutum realiza festa junina virtual

83 por cento das empresas afirmam que precisarão de mais inovação para sobreviver no pós-pandemia, aponta CNI

Alunos do SESI fazem a festa do Sabugo Junino em Casa