IMPRENSA
16 de setembro de 2020 - 17h50

A- A A+

Selic em 2 por cento estimula a queda de juros no mercado para setor produtivo, avalia CNI

Instituição considera acertada a decisão do Comitê de Política Monetária de não alterar a taxa básica de juros. O patamar atual favorece a tomada de crédito para capital de giro

 

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) entende como acertada a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC) de manter em 2% ao ano a taxa básica de juros (Selic).


De acordo com o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, a Selic encontra-se em um patamar que estimula a queda dos juros do mercado de modo positivo para o financiamento da produção e do investimento. “Os juros baixos têm contribuído, ao lado dos programas emergenciais de crédito, para a queda no custo do crédito neste momento de intensa necessidade de financiamento das empresas para a manutenção dos empregos, para o pagamento de despesas fixas e para a retomada das atividades”, afirma Robson Braga de Andrade.


Além disso, mesmo com a recente elevação dos índices de preços ao produtor, não há expectativa de aceleração dos preços de bens e serviços, medida pelo IPCA, que possa ameaçar o cumprimento da meta de inflação para 2020, de 4% ao ano.


Mais notícias

Bioeconomia é uma das agendas prioritárias da biodiversidade brasileira, diz Marcelo Thomé

Mais da metade da indústria está com dificuldade para atender sua demanda, afirma CNI

Indústria pode ser protagonista da bioeconomia no Brasil, diz presidente da CNI

Pavimentação asfáltica garante qualidade e segurança à comunidade escolar do SESI-SENAI-IEL de Cacoal