IMPRENSA
16 de setembro de 2020 - 17h50

A- A A+

Selic em 2 por cento estimula a queda de juros no mercado para setor produtivo, avalia CNI

Instituição considera acertada a decisão do Comitê de Política Monetária de não alterar a taxa básica de juros. O patamar atual favorece a tomada de crédito para capital de giro

 

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) entende como acertada a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC) de manter em 2% ao ano a taxa básica de juros (Selic).


De acordo com o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, a Selic encontra-se em um patamar que estimula a queda dos juros do mercado de modo positivo para o financiamento da produção e do investimento. “Os juros baixos têm contribuído, ao lado dos programas emergenciais de crédito, para a queda no custo do crédito neste momento de intensa necessidade de financiamento das empresas para a manutenção dos empregos, para o pagamento de despesas fixas e para a retomada das atividades”, afirma Robson Braga de Andrade.


Além disso, mesmo com a recente elevação dos índices de preços ao produtor, não há expectativa de aceleração dos preços de bens e serviços, medida pelo IPCA, que possa ameaçar o cumprimento da meta de inflação para 2020, de 4% ao ano.


Mais notícias

SESI-SENAI Cacoal realiza drive thru cultural com participação de alunos e familiares

Confiança da indústria sobe nos 30 setores industriais pesquisados em setembro, diz CNI

SENAI-RO reconhecido por atuar na rede +Manutenção

Avaliação positiva do governo Jair Bolsonaro sobe para 40 por cento, mostra CNI-Ibope