IMPRENSA
14 de maio de 2021 - 09h42

A- A A+

FIERO, Ministério da Economia e empresários debatem redução do Custo Brasil

A apresentação da redução do Custo Brasil foi tema do diálogo promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), nesta quinta-feira, 13, que contou com a participação do secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia, Jorge Luiz de Lima. O Custo Brasil interfere diretamente nos setores de educação, saúde, infraestrutura e desenvolvimento urbano e social do país, conjugado com dificuldades estruturais, econômicas, burocráticas e trabalhistas, que se tornam um obstáculo para o crescimento e produção industrial, do comércio e da economia brasileira.

 

Jorge Lima enfatizou que o atual Custo Brasil tira competitividade, a produtividade, afeta na empregabilidade. Então, o projeto nasce através do Movimento Brasil Competitivo, liderado pelo empresário Jorge Gerdau em conjunto com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Federações e associações, que contratou uma consultoria, que identificou 12 elementos que compõem o Custo Brasil. “Esses 12 itens passam por crédito, infraestrutura, segurança jurídica, abrir e fechar negócios, entre outros, que se transformou num dos maiores projetos do governo”, afirmou.

 

O secretário expôs que o projeto é transversal, que engloba todos os ministérios, envolve o Congresso Nacional e precisa da participação efetiva do setor produtivo, “porque ninguém mais do que os empresários sabem mais dos gargalos que travam a competitividade e o crescimento dos negócios”, comentou. “Então é necessário promover uma série de reformas estruturantes que vão levar o Brasil em condições de competir comercialmente com outros países”, enfatizou.

 

Dados do estudo realizado pelo Ministério da Economia, em parceria com o Movimento Brasil Competitivo (MBC), com apoio da CNI e de associações setoriais da Indústria, apontam que o “Custo Brasil” consome R$ 1,5 trilhão das empresas brasileiras anualmente, em sua maior parte devido ao emaranhado tributário. “Cabe a nós do setor público transformar essas ideias em projetos que efetivamente vão reduzir o Custo Brasil”, disse o secretário do Ministério da Economia.

 

Jorge Lima comentou que não se pode mais olhar o Brasil como um país do futuro. “Precisamos tratar o Brasil de amanhã, ou vamos continuar onde estamos, com um crescimento pífio, com alto desemprego, com uma carga tributária alta, com o estado inchado. Então é uma questão de união do setor produtivo, que através de grupos empresariais, poderemos desenvolver um trabalho em conjunto com o governo”, expressou.

 

Outro ponto abordado pelo secretário do Ministério da Economia foi uma particularidade do Brasil por ser um país continental, não possui 27 estados, e sim, 27 países. “Vejam, cada estado tem sua particularidade. E dentro da própria Amazônia existem distinções claras de políticas públicas governamentais, de incrementos industriais e empresariais diferentes, e precisamos olhar mais para o desenvolvimento regional, pois nem sempre uma solução que serve para o Norte, serve para o Nordeste ou Sul do país. No caso local, recuperação da BR-319 é fundamental para Rondônia”, ponderou.

 

O presidente da FIERO, Marcelo Thomé, afirmou que a agenda da redução do custo Brasil capitaneada pelo secretário Jorge Lima impacta diretamente na competitividade da produção nacional e consequentemente dos produtos de Rondônia. “Não há dúvida que a iniciativa do Governo Federal de enfrentar essa questão em parceria com os empresários é fundamental para sensibilizar em especial o Congresso Nacional a promover as mudanças necessárias para se alcançar a redução do Custo Brasil”, disse.

 

O encontro híbrido, ou seja, uma parte presencial e outra virtual, contou com a participação de membros da diretoria e conselheiros da FIERO e empresários rondonienses, que deram sua contribuição com relação ao tema durante o debate, e respeitou todos os protocolos sanitários e de segurança, estando em conformidade com o decreto nº 26.038, de 23 de abril de 2021.


Mais notícias

Educadoras do SESI RO destacam importância da motivação

Aumento de 0,75 ponto percentual na Selic foi equivocada, avalia CNI

CNI defende aprovação da medida provisória da Eletrobras

SESI Rondônia é destaque na fase nacional Torneio de Robótica First Lego League