IMPRENSA
24 de April de 2024 - 11h42

A- A A+

SESI-SENAI-IEL Lagoa inicia Projeto de Leitura com participação de escritoras rondonienses

Célia Marques e Eva da Silva, escritoras e expositoras de contação de histórias infanto-juvenis, tiveram presença marcante na unidade SESI-SENAI-IEL Lagoa, como parte do Projeto de Leitura, cujo objetivo é o incentivar à leitura de obras educativas e também divulgar a literatura e autores rondonienses e da região Amazônica.

 

Os alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental conheceram a obra das literatas durante o encontro, que contou ainda com a participação das docentes Gesianny Alves, Ana Paula Gonçalves, Adriana Simões, Irinilde do Carmo, Ivonete Scheffmacher e Priscila Freitas.

 

O Cabeça de Cuia e a Mãe da Seringueira; Você e Eu Somos Especiais; O que Ninguém Inventou?; Escrevivências na Amazônia Encantada; Vamos Pescar um Piau?; O sonho de Amina de Zazzau do rio Madeira, são algumas obras de Eva da Silva, que é membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares Afro e Amazônicos (Gepiaa), do Grupo de Estudos Interdisciplinares das Fronteiras Amazônicas (GEIFA) da Universidade Federal de Rondônia (Unir) e do Grupo de Pesquisa Desafios Socioambientais, Saberes e Práticas na Amazônia da Faculdade Católica de Rondônia (FCR).

 

Eva tem experiência como editora executiva da Editora Universitária da Católica de Rondônia (Educar) e como editora executiva da Revista Saberes da Amazônia e como professora da rede estadual de ensino de Porto Velho.

 

Já Heitor, o Curumim, Norte Poético, Sonhos e Sabores Poéticos são livros de autoria de Célia Marques, autora laureada com a Cruz de Mérito pela Academia Brasileira de Ciências, Cultura e Artes de São Paulo, o Prêmio de personalidade do ano de 2022 e o Prêmio Minas Gerais de Saberes em 2023 pela Editora Mágico de Oz e o Prêmio de Boas Práticas na Educação do Município de Porto Velho.

 

As escritoras ressaltaram a importância da leitura, pois aguça um mundo de conhecimentos. “Neste mês temos a oportunidade de festejar esse hábito em duas datas. 18 de abril, dia do Livro Infantil e aniversário do escritor Monteiro Lobato, considerado o pai do gênero e dia 23, dia Mundial do Livro”, citaram. 


Segundo Célia e Eva, os livros de literatura de expressão regional e amazônica focam no respeito e particularidades porque são escritos por autores e escritores locais, que visam promover o letramento literário, valorizando as identidades regionais e contribuindo para a melhoria do ensino.


A pedagoga Alanna Couto relatou que “quanto mais cedo a criança tiver contato com os livros e perceber o prazer que a leitura produz, maior será a probabilidade de se tornar um adulto leitor. Lembro uma frase do crítico literário e professor universitário Antônio Cândido, “a literatura possui uma função humanizadora, pois atua na formação da personalidade humana e propicia conhecimento do mundo. Cito também o escritor Rubem Alves, autor de livros religiosos, educacionais, existenciais e infantis, que disse “Um livro é um brinquedo feito com letras. Ler é brincar”.

 

Para a gerente Juliane Loubach projetos de leitura contribuem de forma significativa ao processo de ensino aprendizagem, além de trazer ludicidade a cada história contada.

 

“A literatura revela ser um recurso indispensável na medida em que desperta a imaginação, a autonomia e desenvolve o senso crítico nos leitores. Consequentemente, tais benefícios se estendem à vida pessoal e social do estudante, que aprimora seus conhecimentos e constrói sua personalidade de forma sadia e reflexiva”, afirmou Juliane.

 

 

 


Mais notícias

Mães da FIERO, SENAI, SENAI e IEL homenageadas nas unidades do DR-RO

FIERO empreende campanha solidária “Unidos pelo Rio Grande do Sul”

Atividades socioemocionais e prova diagnóstica do Passe são temas de encontro de docentes

SESI Rondônia integra encontro nacional de mentoria e formação