Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação em nosso site. Ao navegar, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Aviso de Privacidade e nossa Política de Privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.

IMPRENSA
12 de January de 2023 - 09h13

A- A A+

Confiança do setor industrial registra nova queda

A baixa no Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) em janeiro é a quarta consecutiva, com acúmulo de 14,2 pontos ao longo dos últimos quatro meses

 

A confiança do setor industrial caiu 2,2 pontos em janeiro de 2023 na comparação com dezembro de 2022, recuando de 50,8 para 48,6 pontos. Os dados divulgados nesta quinta-feira (12) são do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), produzido pela Confederação Nacional da Indústria(CNI) para sinalizar as mudanças de tendência da produção industrial. Com a queda recente, o índice se posicionou abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que aponta a falta de confiança do setor pela primeira vez desde julho de 2020.


A pesquisa atual também aponta que, na comparação com o mesmo período de 2022 - janeiro -, houve queda de 7,4 pontos na confiança do empresário do setor industrial, passando de um índice de 56,0 para o atual de 48,6.


O ICEI é composto por dois indicadores: o Índice de Condições Atuais, que mede a percepção dos empresários sobre a economia brasileira em relação aos últimos seis meses, e o Índice de Expectativas, que mensura as perspectivas do setor industrial para o semestre seguinte. Na pesquisa atual, os dois componentes do índice de confiança caíram e migraram para patamares negativos.


O Índice de Condições Atuais referente a janeiro recuou 2 pontos, para 48,3 pontos, e ficou abaixo da linha divisória de 50 pontos, indicando que o setor deixou uma percepção de melhora e passou a enxergar uma piora nas condições atuais na comparação com os últimos seis meses. Quando indagados sobre as condições atuais da empresa, em janeiro de 2023 os empresários passaram a perceber piora, diferentemente dos meses anteriores. A percepção das condições da economia brasileira, por sua vez, já era pessimista em dezembro.


Em relação ao Índice de Expectativas, houve queda de 2,2 pontos para 48,8 pontos, levando a uma posição abaixo da linha divisória de 50 pontos e, assim, migrando a expectativa do setor industrial para a economia brasileira do otimismo ao pessimismo com relação aos próximos seis meses. A expectativa no que diz respeito às empresas, apesar de menos otimista, segue positiva.


Confira entrevista com o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.


“Medir a confiança do empresário é importante porque a ideia é antecipar as movimentações da atividade industrial. Empresários confiantes tendem a aumentar sua produção, a contratar mais, a investir mais. E o inverso ocorre com a falta de confiança. Na medida em que o índice caiu e passou ao campo de falta de confiança, há cautela com relação às contratações, com relação ao investimento”, explica o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.


Mais de 1,3 mil empresas foram ouvidas


A pesquisa que revela o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) foi realizada no período de 3 a 9 de janeiro de 2023, e foram entrevistadas 1.306 empresas: 527 de pequeno porte, 475 de médio porte e 304 de grande porte.


Mais notícias

FIERO e SENAI apresentam soluções para empresário da indústria têxtil

Em visita à FIERO, deputada federal Cristiane Lopes reafirma compromisso com a indústria rondoniense

SESI está com matrículas abertas em suas unidades de Rondônia

Redução do déficit primário é importante, mas solução não deve passar por mudanças no CARF, avalia CNI